Morte Esperada

Wed Oct 14 2020 03:00:00 GMT+0000 (Coordinated Universal Time)

Quando meus guardas se retiraram do salão em silêncio lúgubre, soube que o fim estava próximo. Havia mexido com a riqueza de cada governador de ilha do arquipélago e mergulhado em um embate político. Como grão-governador nomeado pelo imperador, cumpri minhas funções, perseguindo indícios de desvios do tesouro imperial. Ao contrário de meus antecessores, que aceitavam subornos e enriqueciam junto aos governadores insulares. Não mais. Enviei mensagens por navio e por aves para avisar ao imperador sobre as gananciosas traições, decretando também minha sentença de morte.

Entretanto, a honra e a bravura não permitiram que eu partisse para o outro mundo sem oferecer um combate aos meus assassinos. Eles surgiram pelas três portas do salão com lâminas já desembainhadas, cientes de que eu não possuía habilidades arcanas para balancear o confronto. Ainda assim, minha lança derramou sangue e cobrou vidas.

O primeiro investiu pela minha frente, ameaçando um golpe horizontal. Com dois passos para o lado e um adiante, perfurei seu pescoço com a ponta da arma, girando em seguida para defender um ataque às costas. Ao ser desviada, a lâmina inimiga desceu em direção ao chão, e eu me movi o suficiente para brandir a haste da lança contra os tornozelos do assassino. Assim que ele caiu, abri uma fenda sangrenta em seu rosto.

Enquanto eu me voltava para outros dois oponentes, erguendo a lança em ameaça, uma lâmina deslizou por minha panturrilha direita. Retraí a perna ante a dor, enquanto acertava a têmpora de um deles. Com um recuo ágil, esquivei de um ataque ascendente, mas outra espada talhou minha cintura de lado a lado. Tentei me afastar dos inimigos que me cercavam, balançando a lança em vasta amplitude. Atingi um ombro inimigo antes de uma estocada entrar por baixo de minhas costelas.

Tossi sangue enquanto desabava na pedra fria e tremelicava em meus últimos suspiros. Agora em espírito, ainda preso ao corpo, testemunho os assassinos restantes urinarem e cuspirem em meu cadáver. Eles não possuem honra, assim como os governadores que os enviaram.


Arte: Hans Park (ArtStation)