O Auxiliar

Mon Aug 10 2020 03:00:00 GMT+0000 (Coordinated Universal Time)

Quando fui contratado como cozinheiro da Legião Arcana em Ishllan, imaginei que usufruiria de sossego entre ingredientes. Entretanto, a alegria ingênua se desfez quando fui designado ao preparo de alimentos para os aprendizes da ordem.

Crianças. Amaldiçoadas pelos deuses com inquietação, vontade de incomodar e confusão quanto aos próprios desejos. Não sei quantas vezes pensei em desistir, em retornar à hospedaria na qual trabalhava antes.

As peças pregadas eram enervantes. Muito mais que as ocasionais guerras de comida entre os mais novos ou que as pilhagens noturnas à despensa. Temperos trocados de lugar, panelas desaparecidas, refeições contaminadas por ervas laxantes. Ao menos a cozinha para os jovens não recebia bebidas alcóolicas. Do contrário, nem mesmo os deuses conseguiriam lidar com o caos.

Às vezes sonhava acordado em me livrar de alguns aprendizes com um cutelo. Sem verdadeiras intenções, claro. Eram todos arcanos, e eu estaria morto antes de baixar a lâmina. Então conheci Garhad. Um menino estranho, que preferia conversar com adultos a interagir com outros jovens. Ele me convenceu a ensiná-lo a cozinhar. Parte por querer aprender a arte dos sabores, parte por desejar treinar suas habilidades arcanas.

Capaz de manipular objetos, Garhad utilizava um livro flutuante enquanto movia ingredientes e panelas com arcania azul. Nas páginas constavam receitas e palavras específicas para utilização da arcania. Bom, era o que ele dizia, pois nunca aprendi a ler.

Por anos, foi meu principal auxiliar. Ele até impedia parte das travessuras de outras crianças. Quando minha visão começou a falhar, ele não contou para ninguém. Seguiu fiel a mim, ajudando-me como o filho que nunca tive. No dia em que Garhad deixou de ser um aprendiz e passou a receber missões, eu abandonei a cozinha da Legião Arcana.

Hoje agradeço todos os dias por sua existência, por ter de quem lembrar com afeto ante a escuridão em meus olhos, pela deliciosa comida que ele prepara e traz para me manter vivo à espera da morte.


Arte: @sstark2 (Instagram)