O Resgate

Mon Aug 03 2020 03:00:00 GMT+0000 (Coordinated Universal Time)

Suas vivências são mais excitantes que as minhas, irmão, com as perseguições a bandidos e com o clangor entre espadas. Você conquista castelos e saqueia fazendas inimigas, enquanto entrelaço fios e vendo tapetes. Em meu sustento não há perigo. Bom, era o que eu pensava.

Nosso pai inventou que deveríamos encontrar compradores fixos para nossos produtos fora do reino e me enviou para o norte, na direção do Mar Draconiano. Apenas eu e todas as amostras que um cavalo pudesse carregar. Sem carroça e sem escolta. Não recordo em que parte da estrada sofri o ataque.

Um homem parou diante da montaria, outro me derrubou quando puxei as rédeas. Levantei e saquei a adaga para lutar, mas uma espada desceu em meu ombro. Eles fugiram com o cavalo enquanto meu sangue manchava a neve.

O frio me abraçou. Mãos, rosto, consciência. Quando um vulto dourado apareceu diante de meus olhos, pensei que delirava. Ao se inclinar sobre mim, uma ardência súbita recaiu sobre o rasgo em meu corpo, uma sensação de esperança calorosa que imbuiu meu espírito com vigor e fome de sobrevivência. Fui colocado sobre uma maca de couro e arrastado até uma cabana na floresta, onde fogo e cobertores me aguardavam.

Pude enxergar os traços de minha salvadora enquanto ela irradiava energia branca sobre o corte de espada e sobre meus dedos gélidos. Era uma menina de expressões afáveis e convictas, e sua presença transmitia alento. Ela ignorou todas as minhas perguntas. Com meus ferimentos curados, adormeci como se estivesse em um sonho, mirando em gratidão os cabelos cor de palha.

Ao acordar, não a encontrei. A lareira ainda crepitava, e havia comida em um cesto. Aguardei por dois dias, mas ela não apareceu. Parti para o sul com a impressão de que ela me vigiava entre as árvores.

Chamo-a de Cura Dourada e conto para todos como ela me salvou. Talvez em breve eu a encontre na mesma cabana, pois nosso pai insiste em uma nova viagem.

Que os deuses o protejam, irmão, como fizeram comigo.

Com carinho, Hekvar.


Arte: @neonpolygon (Instagram)