Idade Média e Antiguidade. Três filmes com mais de 20 anos capazes de moldar interesses

Oi, pessoal! Espero que todos estejam bem!


Fazia algum tempo que desejava escrever um post sobre filmes mais antigos que acabaram me moldando como alguém interessado na temática medieval e antiga. Antes mesmo de pensar em me tornar um escritor de fantasia medieval, o interesse já existia, e muitas produções são responsáveis por despertar tal interesse em mim. Não foi simples escolher três, e penso que todos deveriam assistir os que selecionei. Não apenas pela temática em si, mas pelos filmes que eles são, independente de vocês serem apaixonados por ambientações históricas ou não. Tampouco me prendi à fidelidade histórica, apenas ao modo como a história é retratada, a emoção transmitida e a trama desenvolvida. Bom, vamos a eles:



Coração Valente (Braveheart - 1995)


Aquele que mais me marcou. A história do mártir vivido por Mel Gibson me prendeu desde o início até o épico final. Quem não assistiu ao filme, assista. Não existe dúvida de que a produção influenciou desde cedo a minha visão sobre sacrifício e liberdade em termos de política e povos, de maneira idealista, claro, mas não menos impactante. Não são apenas as batalhas, os castelos e os combates de espada que o tornam um excelente filme. Não sei dizer quantas vezes assisti essa obra de arte, nem por quantos anos tive parte da trilha sonora dele como toque do meu celular (sim, talvez seja um dos meus filmes preferidos da vida).


Sinopse: No século XIII, soldados ingleses matam a mulher do escocês William Wallace, bem na sua noite de núpcias. Para vingar a amada, ele resolve liderar seu povo em uma luta contra o cruel Rei inglês Edward I. Com a ajuda de Robert Bruce, ele vai deflagrar uma violenta batalha com o objetivo de libertar a Escócia de uma vez por todas.



Gladiador (Gladiator - 2000)


Um dos principais responsáveis por me fascinar pelo Império Romano e, talvez, o filme que eu mais vezes tenha assistido. Também apresenta conceitos idealistas que acabei esmiuçando e amadurecendo ao longo da minha vida, mas que é altamente capaz de emocionar. É uma obra que mexe muito com imaginário e que me levou a querer aprender mais sobre a época, tanto em livros quanto em outras produções audiovisuais. Quem não conhece essa história, assista ao filme. Não haverá arrependimentos.


Sinopse: Nos dias finais do reinado de Marcus Aurelius, o imperador desperta a ira de seu filho Commodus ao tornar pública sua predileção em deixar o trono para Maximus, o comandante do exército romano. Sedento pelo poder, Commodus mata seu pai, assume a coroa e ordena a morte de Maximus, que consegue fugir antes de ser pego e passa a se esconder sob a identidade de um escravo e gladiador do Império Romano.



O Nome da Rosa (Der Nome Der Rose - 1986)


Neste a abordagem e o despertar por interesse acaba sendo um pouco diferente dos outros. Aqui, o foco é no controle de conhecimento e riquezas pela religião, o impacto que isso possui, as manipulações e interesses por trás de cada decisão tomada. Sou particularmente interessado no impacto das religiões sobre os indivíduos e sobre a sociedade e posso afirmar que esse filme pode ter sido um dos responsáveis por despertar isso em mim. É um filme que recomendo bastante. Um clássico baseado em um livro clássico do Umberto Eco, com o mesmo nome.


Sinopse: Em 1327, William de Baskerville, um monge franciscano, e Adso von Melk, um noviço, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincado, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas, antes que ele conclua as investigações, Bernardo Gui, o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Como não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.




Por hoje é isso! Quem ainda não assistiu, utilize o isolamento para assistir! São filmes mais longos, mas que valem a pena. De verdade.


Abraço!